20 janeiro 2005

Última parte

Agradecimento a
Fernando Guimarães
E a: AS QUATRO IDADES


(ÚLTIMA PARTE)

Lendo o livro Marta descobriu um outro mundo. Um mundo real que nós não vemos. Percebemos isso pela serenidade que dela emana. Uma paz que flúi e transporta uma imensa alegria.
É tudo isso que nos atinge e nos faz invejar Marta. E se fôssemos lá e lhe tirássemos o livro...? Ainda que por um breve instante....
Talvez o livro também nos quisesse ler e permitisse ter acesso a esse mundo tão serenamente real e encantatório que vislumbramos.
Eis que Marta volta ao livro. Não, o livro é que sobe, lentamente, até Marta, até se lhe adaptar à posição reclinada da cabeça, para que se possam ler.
Não sabemos como, não sabemos traduzir esse facto, mas sabemos que, enquanto os olhos de Marta lêem, as palavras escritas, é o livro que continua a ler Marta. As palavras mero veículo da sua voz. E aquele diálogo continua, ali, bem à nossa frente. Tentamos aproximarmo-nos, queremos entrar naquele diálogo, mas a bolha-universo que a envolve e que se expande, pulsante, não deixa.
Aquele espaço não nos pertence, diz-nos.
Sem hostilidade, mas sem dúvidas ou hesitações.
Que só queremos ver a capa..., o nome do livro, dizemos nós...
Que a capa e o título nada nos diriam.
O livro que nos lê não é o mesmo.
Cada um tem o seu.
Como toda a vida é uma busca contínua, se o quisermos verdadeiramente, temos que continuar a ler, a procurar....
Cedemos. A contra gosto, porque queríamos compartilhar daquela bem-aventurança, mas sabemos que o livro nos fala assisadamente e não lhe podemos fechar os ouvidos.
Marta fascina-nos. Não sabemos ao que fomos nem porque nos encontramos ali, naquele Centro, defronte de Marta.
Sabemos, no entanto, que, enquanto Marta permanecer, não teremos qualquer outro objectivo na vida.
Nem memórias.

Só aquele momento interessa. Só ele é real.
Só aquele momento é passado, presente e futuro.

Por TMara. In: FALAR MULHER (89-90-91)

8 comentários:

Blue C. disse...

TMara, dei o teu beijinho como pediste.Sabes,deves ser uma Mulher e Mãe maravilhosa. Digo-o com a maior sinceridade, como sabes. Mulher maravilhosa pelo que escreves, pelas causas que defendes. Mãe maravilhosa pela filha que tens. O que ela me tem aturado e não se queixa. E o que me tem ensinado... Obrigada pelo teu apoio e carinho que sempre mostras no mais singelo comentário. Beijinho enorme, enorme, enorme.

TMara disse...

Blue :o, deixas-me assim. Sou só uma pessoa tentando fazer o melhor, errando e aprendendo com os erros, como todas. A Ana é uma pessoa maravilhosaa, de facto, mas o mérito é dela. Tudo de bom para ti. Bem hajas e muita luz :D

FataMorgana disse...

Vim dizer-te que gosto muito da história de Marta que lê e é lida pelo seu livro. :)
Gostei muito de ver a Blue por aqui! Duas meninas lindas, tu e ela, não sabia que se conheciam :)
Beijos

Miss Kafka disse...

É assim mesmo: quando olhamos estamos também a ser o nosso olhar.

TMara disse...

Fata Morgana, bemvinda :) É sempre um prazer receber-te nesta casa e ouvir a tua voz por estas planuras. Bjs e :)

TMara disse...

Miss Kafka, estamos não é? Mas será k a maioria tem noção de tal coisa? Esperemos k sim.E k todos façam a sua busca/demanda (quest)interior. Bjs e ;)

Luis disse...

Também gosto de ler.
Mas para um livro me ler, tenho de ser eu a escrevê-lo.

TMara disse...

Olá Luis :) os livros k escrevemos nunca nos podem ler. Pelo menos é o k penso. São comunicação PARA os outros.
Talvez seja uma resistência tua pensando k podes perder o contolo da situação? K achas? Bjs e ;)