27 abril 2013

01 março 2013

15 janeiro 2013

o país deriva cada vez mais para Oeste -mar adentro


A RETER & LEMBRAR:


O Relatório do FMI, autêntica "bomba de Hiroshima" sobre o tecido económico e social português foi feito a PEDIDO DO GOVERNO - com dados - numéricos e "ideológicos" (não lhes reconheço nem identifico, e comigo muitos analistas políticos, qualquer ideologia. Limitam-se a "navegar à vista" não perdendo de vista  dois objectivos: o empobrecimento do país e as privatizações de tudo o que ainda dá lucro) - por este facultados.

 Falta-lhes a coragem para nos "LAPIDAREM" e assim podem sempre desculpar-se com o dito relatório que foi feito por TÉCNICOS ESTRANGEIROS, não por políticos portugueses eleitos e seus parceiros sociais e económicos.

 PARA ALÉM DE LADRÕES E DESTRUIDORES DO PAÍS OS NOSSOS POLÍTICOS SÃO COBARDES.
………………………………………………………………………………………………
Sinto-me, cada vez mais DEFRAUDADA POR ESTE GOVERNO  (algo que à partida parecia impossível) QUE PARECE LOUCO NA SUA ÂNSIA de refundar= AFUNDAR O PAÍS.

Mais UMA INCONGRUÊNCIA: a OCDE quer mais  CORTES no SUBSÍDIO DE DESEMPREGO de quem TEM MAIS.... ANOS DE TRABALHO. 
É assim trabalhaste muitos anos, despediram-te com as novas regras que criámos (é o governo a falar), ou porque a empresa faliu pelas medidas que tomámos...pois bem: recebes menos do que quem trabalhou menos anos. ISTO É PUNIÇÃO PARA QUEM NUNCA DEIXOU CAIR OS BRAÇOS E MAIS CONTRIBUIU. LOUCURA TOTAL!!!!!!!
……………………………………………………………………………….
ESTÁ A ACONTECER QUE O MEU PAÍS SE ESTÁ A ESBOROAR, IR  CANO ABAIXO SOB A BATUTA DA TRÓICA NACIONAL E DA TROIKA EUROPEIA.

Novos dados sobre o DESEMPREGO por cá:
Em Novembro de 2012 o nº de CASAIS DESEMPREGADOS AUMENTOU 95,5%, face ao período homólogo de 2011. 
TOTAL: 11.044 CASAIS.
Se não tiverem nem ascendentes nem descendentes a cargo: 22.088 PESSOAS sem qualquer vencimento;


Se TIVEREM só MAIS  UMA PESSOA A CARGO
- 33.132 PESSOAS SEM MEIOS DE SUBSISTÊNCIA. E por ai fora. 
Ora, de Novembro de 2012 até hoje mais uns largos milhares se somaram a estes....

08 janeiro 2013

Que túnel vê cada um?

Passos Coelho diz que «vê luz ao fundo do túnel» 


Do "túnel" que fez com os dedos, por certo, no túnel seguinte vemos três almas( Passos Coelho; Gaspar e Relvas) com três isqueiros acesos buscando a famosa saída/LUZ que afirma ver.  


Cavaco Silva diz que «vê ciclo vicioso» 
Assim, espiral recessiva que se vai apertando cada vez mais e cujo túnel termina num ponto por onde nem um alfinete passará, digo eu.                                                                                         

Refundar = AFUNDAR


Estou CONFUSA sobre algumas coisas. A saber:

1 - quando os nossos políticos "falam" de classe média do que é que estão a falar? Uma média matemática ou de um conceito sociológico que tem vindo a ser desmembrado fracturando o tecido social e lançando essa classe média no limiar da sobrevivência. Este é o retrato da actual denominada "classe média= ao mito de Sísifo, carregar o pedregulho montanha acima, vê-la rolar para a base, voltar e recomeçar. INTERMINAVELMENTE.

2 -REFUNDAR - mais um soun dbite - refundar é um verbo transitivo ((re- + fundar) e significa: 
  a) Tornar mais fundo. = AFUNDAR, APROFUNDAR, PROFUNDAR
  b) Tornar a criar, a estabelecer algo; fundar novamente.(algo para que já provaram não terem competência nem interesse)

Torna-se claro qual o sentido quando é usado pelos nossos governantes: AFUNDAR! 


Sei-o, como vós, porque o sentimos na pele, na carne, nos ossos, no tutano, na mente, no coração e nessa parte desconhecida e imaterial: a alma.

Quando o governo diz: REFUNDAR = AFUNDAR o país.
Até os cegos vêem e os surdos ouvem.

06 janeiro 2013

Há alguém que NÃO ande a brincar connosco?

I
Acabei de saber: a União Europeia, que este ano foi distinguida com o Prémio Nobel da Paz (porquê? Para os lembrar dos objectivos fundadores? - SÓ PODE!) decidiu, na passagem do 20º aniversário da assinatura do Tratado de Maastricht, declarou 2013 Ano Europeu dos cidadãos.
   Ora se bem entendo estamos como estamos - em agonia - nós, cidadãos e cidadãs - pelos:

  1. governantes que temos;
  2. por imposições da TROIKA;
  3. pela incapacidade - ou agendas pessoais e de grupos que nada têm a ver connosco - do governo em defender os interesses nacionais e em defender os cidadãos portugueses - pergunto-me: onde está a União Europeia? na defesa ou neste destruir de países, lares, vidas...em suma dos cidadãos?
ANO EUROPEU DE QUÊ???????

II


A ONU declarou 2013 como o Ano Internacional da Cooperação da Água. 
Objectivos: 
  1. debater a forma como este recurso (reconhecidamente em acelerado processo de escassez) deverá ser gerido;
  2. salvaguardar a qualidade de vida das "populações mais pobres e vulneráveis".
Por cá, o crânio, António Borges - um às da desgraça alheia - na sua posição de consultor do governo para as privatizações, anunciou que a privatização da água se encontra «muito bem encaminhada».

  A nossa experiência é clara: as privatizações nunca nos ajudaram, nada fica mais barato nem cria equidade e justiça social. A curto prazo, a estimativa mais correcta, tendo em conta a nossa experiência de vida e de privatizações, enquanto cidadãos de um país náufrago à deriva, é que a água será mais cara e muitos de nós não teremos acesso a ela e FUNDAMENTO:
    A Rede Europeia Anti Pobreza desvalorizou os dados recentes do INE (instituto Nacional de Estatística - 2010) segundo os quais «18% da população se encontrava em risco de pobreza» PORQUE
 «a realidade está a alterar-se DEMASIADO DEPRESSA E PARA PIOR».



03 janeiro 2013

IMPERDÍVEL - como tudo funciona e os nossos políticos "facilitam" que nós (PAÍS) percamos sempre


ANA, grávida da nova Lisboa
Publicado às 00.09 e na Pág:14 do Jornal de Notícias (JN) de 2013.01.03


«Ah, sim, o discurso de Cavaco. Talvez, talvez, depende, "eu avisei". Sempre tarde.

 Adiante. Falemos de coisas concretas e consumadas: o casamento da ANA, uma historieta que tem tudo para sair muito cara. Passo a explicar: a ANA geria os aeroportos com lucros fabulosos para o seu pai, Estado, que, entretanto falido, leiloou a filha ao melhor pretendente. Um francês de apelido Vinci, especialista em autoestradas e mais recentemente em aeroportos, pediu a nossa ANA em casamento. E o Estado entregou-a pela melhor maquia (três mil milhões de euros), tornando lícita a exploração deste monopólio a partir de uma base fabulosa: 47% de margem de exploração (EBITDA).
O Governo rejubilou com o encaixe... Mas vejamos a coisa mais em pormenor. O grupo francês Vinci tem 37% da Lusoponte, uma PPP (parceria público-privada) constituída com a Mota-Engil e assente numa especialidade nacional: o monopólio (mais um) das travessias sobre o Tejo. Ora é por aqui que percebo por que consegue a Vinci pagar muito mais do que os concorrentes à ANA. As estimativas indicam que a mudança do aeroporto da Portela para Alcochete venha a gerar um tráfego de 50 mil veículos e camiões diários entre Lisboa e a nova cidade aeroportuária. É fazer as contas, como diria o outro...
Mas isto só será lucro quando houver um novo aeroporto. Sabemos que a construção de Alcochete depende da saturação da Portela. Para o fazer, a Vinci tem a faca e o queijo na mão. Para começar pode, por exemplo, abrir as portas à Ryanair. No dia em que isso acontecer, a low-cost irlandesa deixa de fazer do Porto a principal porta de entrada, gerando um desequilíbrio turístico ainda mais acentuado a favor da capital. A Ryanair não vai manter 37 destinos em direção ao Porto se puder aterrar também em Lisboa.
Portanto, num primeiro momento os franceses podem apostar em baixar as taxas para as low-cost e os incautos aplaudirão. Todavia, a prazo, gerarão a necessidade de um novo aeroporto através do aumento de passageiros. Quando isso acontecer, a Vinci (certamente com os seus amigos da Mota-Engil) monta um apetecível sindicato de construção (a sua especialidade) e financiamento (com bancos parceiros). A obra do século em Portugal. Bingo! O Estado português será certamente chamado a dar avais e a negociar com a União Europeia fundos estruturais para a nova cidade aeroportuária de Alcochete. Bingo! A Portela ficará livre para os interesses imobiliários ligados ao Bloco Central que sempre existiram para o local. Bingo!
Mas isto não fica por aqui porque não se pode mudar um aeroporto para 50 quilómetros de distância da capital sem se levar o comboio até lá. Portanto, é preciso fazer-se uma ponte ferroviária para ligar Alcochete ao centro de Lisboa. E já agora, com tanto trânsito, outra para carros (ou em alternativa uma ponte apenas, rodoferroviária). Surge portanto e finalmente a prevista ponte Chelas-Barreiro (por onde, já agora, pode passar também o futuro TGV Lisboa-Madrid). Bingo! E, já agora: quem detém o monopólio e know-how das travessias do Tejo? Exatamente, a Lusoponte (Mota-Engil e Vinci). Que concorrerá à nova obra. Mas, mesmo que não ganhe, diz o contrato com o Estado, terá de ser indemnizada pela perda de receitas na Vasco da Gama e 25 de Abril por força da existência de uma nova ponte. Bingo!
Um destes dias acordaremos, portanto, perante o facto consumado: o imperativo da construção do novo grande aeroporto de Lisboa, em Alcochete, a indispensável terceira travessia sobre o Tejo, e a concentração de fundos europeus e financiamento neste colossal investimento na capital. O resto do país nada tem a ver com isto porque a decisão não é política, é privada, é o mercado... E far-se-á. Sem marcha-atrás porque o contrato agora assinado já o previa e todos gostamos muito de receber três mil milhões pela ANA, certo? O casamento resultará nisto: se correr bem, os franceses e grupos envolvidos ganham. Correndo mal, pagamos nós. Se ainda estivermos em Portugal, claro

Daniel Deusdado
Jornalista
P.S- negrito e maiúsculas minha autoria.

02 janeiro 2013

Cavaco Silva e Pilatos

pois é, devem ser primos.


ambos lavaram as mãos,

No caso de Pilatos resultou na crucificação de Jesus. No caso de Cavaco Silva vai resultar na destruição de lares, miséria, fome e destruição do que resta da economia e do país - ou seja: na crucificação do país.

C.S "teve dúvidas" da constitucionalidade sobre  muitos aspectos do Orçamento Geral do Estado para o ano em curso. Não fez o que devia: enviar previamente para parecer do Tribunal Constitucional. 
Teve dúvidas, tem dúvidas mas... aprovou... 
E lava as mãos pela forma/método como o faz..
A história não lhe perdoará e ele esquece que a consciência não se lava...