18 maio 2005

k0013Toxxynfractal6circulosemareia.jpg



QUOTIDIANO DE UM CIDADÃO VULGAR

Uma dolorosa consciência
atravessa o dia a dia.
Em cada minuto pensa,
elabora e define estratégias
de sobrevivência.

Por: TMara

12 comentários:

Lana disse...

é...é mais sobreviver k viver..num mudno como este.. ***

Charlotte disse...

Um pensamento muito verdadeiro!
Beijokas Mara*

Amaral disse...

Um cidadão vulgar é aquele que é, porque todos são iguais. No seu dia-a-dia a sua consciência vai-se alargando. Mas eu acho que as estratégias que ele elabora a cada momento não são de sobrevivência, mas de amor.

gato_escaldado disse...

tomar consciência. dolorosa(mente).(sobre)vivência. pensa(da). e tudo o mais é nada. gostei. verdadeiramente. beijo

Dora disse...

Isso é tão dolorosamente verdadeiro, TMara...Um grande beijinho

Manoel Carlos disse...

Diante de tal síntese, concretude e objetividade poética, dizer o quê?

Preferi fazer o esclarecimento pedido em comentário na postagem anterior.

Carla disse...

E enquanto se elaboram essas estratégias de sobrevivência, vai-se perdendo a espontaneidade da vida. Belo descrever dos quotidianos apressados para caber tudo nos dias... Beijo grande :)

Ana disse...

Nada mais difícil que sobreviver e por vezes tão inútil.

mfc disse...

É crua a vida, mas devemos também olhá-la com um sorriso que ela , às vezes, merece!
Vamos lá a fazer isso, tá?

peciscas disse...

E às vezes, não há estratégia possível para a sobrevivência!

Apenas, o cidadão disse...

sem dúvida. sobreviver para não pensar para onde caminha e porquê.

Anónimo disse...

Best regards from NY!
»