27 maio 2005

A minha rua é um rio

nadadorDoAsfalto.jpg



A MINHA RUA É UM RIO

E lá volto ao tema da minha rua. A rua onde moro.

Lida de fora, por vocês, espero que compreendam não ser pieguice, mas prazer que a rua me dá compelindo-me a dela falar.

A minha rua corre de nascente para poente (e vice-versa).
Ontem foi feriado. Hoje continua um fim-de-semana prolongado alterando-lhe o aspecto, o movimento, a vivência.

Já vos falei dela, de como é uma rua (quase) de aldeia.
Ontem era uma rua silenciosa, mas um silêncio gostoso. Cheio de trinados de aves e gatos ronronando nos muros dos quintais, pontilhado, de onde em onde, por ladridos dialogando entre si.

Toda ela bordejada, nas margens, por carros adormecidos.
Estranhamente o silêncio tecido na rua, pela rua, era tão aconchegante que nem as “latas” abandonadas conseguiam romper a magia.

Por norma há qualquer coisa de ameaçador numa rua cheia de carros parados, sem pessoas dentro ou fora deles, ainda mais quando aguardamos um pouco esperando o usual movimento que não acontece. Ontem era assim: uma rua deserta, onde só a “lata” imperava. Mas nada de ameaçador havia.

No ar o sussurro da luz e de bandos de pequenos, quase invisíveis, insectos flutuando nos raios solares, em suspensão, em estranhas danças, davam-lhe um ar de encantamento. Sentia-se a magia.

Os carros, sem utilidade, jaziam brilhando ao sol. Estranhas carcaças inertes e silenciosas, falando de outros momentos, aguardando o chamado.

A luz do Sol, quando este nasce, irrompe pela rua como por portão acabado de abrir convidando a entrar.
Ao deslocar-se continua, por umas horas, a percorrê-la de forma total, sem sombra em qualquer das margens. Sim, das margens, pois é disso que se trata: a minha rua é um rio de sol, luz e calor, que se estende, desliza e corre, por onde se pode navegar como quem desliza.

E é isso que faço a cada manhã, tomando um refrescante banho de luz, seguindo bem pelo meio deste rio em que habito com um sorriso nos lábios e no olhar,assim aquecido o coração.

18 comentários:

Lana disse...

gostei mt mt mt...a imagem ta excelente mm :D ***

Cakau disse...

É uma rua bonita :) Muito bonita *

Espectro #999 disse...

 ⊆⊇  TMara, no computador de onde estou não consigo ver a imagem, problemas do servidor, ou lá o que é  ⊆⊇  mas hei-de vê-la noutro qualquer monitor  ⊆⊇  em relação ao texto é sublime a forma como transmites a imagem da tua rua  ⊆⊇

  © Beijocas e inté.

sylpha disse...

Haverá poucas ruas assim :)) Beijo grande e bom fim de semana

Vera Cymbron disse...

Mas que bonita rua a tua!
Jinhos

Simone disse...

A nossa rua abriga os sentimentos que só o nosso coração reconhece e suspira !!!!!!!!
Lindo.
Meu beijo.

Daniel Aladiah disse...

Querida TMara
Tens de promover as viagens na tua rua :)
Um beijo
Daniel

Dora disse...

És muito bonita por conseguires ver uma rua com tanta ternura! Um grande beijo para ti :-)

JPD disse...

Olá TMara

É excelente morar-se numa rua assim.Ainda bem.
É que a maioria das ruas das nossas cidades estão transfiguradas pela enorme quantidade de carros mal estacionados, por dejectos de cães, de painéis de publicidade e outros que só servem para chatear.
Pergunto: por que razão as ruas das aldeias, vilas e cidades do Alentejo, embora tendo carros, não têm a profusão insanável de dejectos de cães? São limpas, asseadas. Dá gosto percorrê-las! Porque será?????
Bjs

Mitsou disse...

Que linda e ternurenta, a tua descrição, amiga! Como já te disse uma vez, é muito importante gostarmos da rua onde moramos. Por vezes, é só mesmo dela que depois temos saudades. Beijo enorme e um óptimo fim-de-semana!

Alexandre Sousa disse...

A rua não é apenas um ir e vir, é também um estar e se tem um rio então passa a ser mais um sentir. Coisas simples que a vida e as ruas por onde percorremos caminhares perdidos nos oferecem. Há que ver, agarrar e ficar.

F.Marinho disse...

Um pouco de frescura neste calor financeiro que abrasa o pais.

Obrigado

Charlotte disse...

É uma rua amada e nela reina um dom que muitas não têm; o silêncio!
Bons passeios;)
Bejinhos Mara**

Manoel Carlos disse...

A rua de cada um de nós é o princípio do Mundo em que vivemos. E você a descreve bem.

Å®t_Øf_£övë disse...

Afinal onde fica a tua rua?
Há tão poucas ruas assim....
Gostava de a conhecer.
Bom fds.

Nilson Barcelli disse...

A tua rua está a 90º da minha.
A tua é um rio de luz, a minha é um mar de vento (Norte).
Tomas banho e eu navego...
Beijo***

mfc disse...

A nossa rua também faz parte de nós.... também faz parte dos nossos hábitos e raízes!

LUA DE LOBOS disse...

Adorei a tua rua:)
E quero deixar a primeira impressão que tive desta minha rua.
Há muitos anos, vim para cá e a minha, era a única casa, havia estrada mas eram campos por todo o lado.
No 1º Domingo, ainda meia sobressaltada por ruidos estranhos, dormitava eram 7 da matina, de repente ouço um matraquear de saltos e pensei - é mulher.
Mas a tranquilidade durou apenas alguns segundos porque a dona dos sapatos abriu as goelas e ala que é pardal, meia volta, e aí vai ela rua acima, outra vez.
E outro ruido estranho entrou-nos janela dentro.
Uns MUUUUUSSSSSS fizeram-nos saltar da cama e espantados, vemos uma "palette" de vacas a correr atrás da desgraçada.
Esta foi a minha rua, agora é um pesadelo de camionetas de carreira desarvoradas e até uma escavadora já me entrou pelo jardim...
Ruas da nossa vida ::))