28 novembro 2004

JARDINS FLORIDOS

«Deixar de ser amada, é tornar-se invisível. Tu já não te apercebes de que eu tenho um corpo.»

8 comentários:

Lana disse...

Não concordo...deixar de ser amada é tornares-te normal..visivel como outros...quando alguem te ama vê-te mais k tudo..quando o amor desaparece n ficas invisivel..ficas apenas só visivel...com uma visbilidade normal.. jinhu *

TMara disse...

Lana :) Vou reflectir sobre a tua...percepção.
Bj ;))

contadordehistorias disse...

Não se precisa amar sempre com as mãos, com o sentir da carne quente mal vestida pela pele.Às vezes basta saber que está ao nosso lado...

beijos

TMara disse...

Ôi, contador de histórias :)
Tens razão e...não tens (na minha óptica, claro).
Tens razão pq é mesmo como dizes, MAS é pelo corpo/olhar/visibilidade k primeiro chegamos ao outro - qualquer k ele seja! É através dessa visibilidade que se mantém contacto - sem o corpo/na ausência deste nunca saberás (pelo menos nesta dimensão da nossa humanidade) que o outro está ao "...NOSSO LADO"! O acariciar é importante - o bebé necesita ser tocado com ternura p/ se desenvolver equilibradamente.
Se o outro começar a ignorar-te provavelmente vais encontrar mil e uma racionalizações p/ justificar comportamentos, ausências, etc MAS qnd o corpo-teu se torna invisível p/ o outro vais acabar por ser abertamente confrontado com a verdade de k andas fugindo há tempos...
(NADA DISTO É UM ABSOLUTO, MAS CREIO PASSAR MTº POR AQUI)
beijo e ;))

TMara disse...

Ôi, contador de histórias :)
Tens razão e...não tens (na minha óptica, claro).
Tens razão pq é mesmo como dizes, MAS é pelo corpo/olhar/visibilidade k primeiro chegamos ao outro - qualquer k ele seja! É através dessa visibilidade que se mantém contacto - sem o corpo/na ausência deste nunca saberás (pelo menos nesta dimensão da nossa humanidade) que o outro está ao "...NOSSO LADO"! O acariciar é importante - o bebé necesita ser tocado com ternura p/ se desenvolver equilibradamente.
Se o outro começar a ignorar-te provavelmente vais encontrar mil e uma racionalizações p/ justificar comportamentos, ausências, etc MAS qnd o corpo-teu se torna invisível p/ o outro vais acabar por ser abertamente confrontado com a verdade de k andas fugindo há tempos...
(NADA DISTO É UMABSOLUTO, MAS CRREIO PASSAR MTº POR AQUI)
beijo e ;))

TMara disse...

Ôi, contador de histórias :)
Tens razão e...não tens (na minha óptica, claro).
Tens razão pq é mesmo como dizes, MAS é pelo corpo/olhar/visibilidade k primeiro chegamos ao outro - qualquer k ele seja! É através dessa visibilidade que se mantém contacto - sem o corpo/na ausência deste nunca saberás (pelo menos nesta dimensão da nossa humanidade) que o outro está ao "...NOSSO LADO"! O acariciar é importante - o bebé necesita ser tocado com ternura p/ se desenvolver equilibradamente.
Se o outro começar a ignorar-te provavelmente vais encontrar mil e uma racionalizações p/ justificar comportamentos, ausências, etc MAS qnd o corpo-teu se torna invisível p/ o outro vais acabar por ser abertamente confrontado com a verdade de k andas fugindo há tempos...
(NADA DISTO É UM ABSOLUTO, MAS CREIO PASSAR MTº POR AQUI)
beijo e ;))

TMara disse...

Ôi, contador de histórias :)
Tens razão e...não tens (na minha óptica, claro).
Tens razão pq é mesmo como dizes, MAS é pelo corpo/olhar/visibilidade k primeiro chegamos ao outro - qualquer k ele seja! É através dessa visibilidade que se mantém contacto - sem o corpo/na ausência deste nunca saberás (pelo menos nesta dimensão da nossa humanidade) que o outro está ao "...NOSSO LADO"! O acariciar é importante - o bebé necesita ser tocado com ternura p/ se desenvolver equilibradamente.
Se o outro começar a ignorar-te provavelmente vais encontrar mil e uma racionalizações p/ justificar comportamentos, ausências, etc MAS qnd o corpo-teu se torna invisível p/ o outro vais acabar por ser abertamente confrontado com a verdade de k andas fugindo há tempos...
(NADA DISTO É UM ABSOLUTO, MAS CREIO PASSAR MTº POR AQUI)
beijo e ;))

TMara disse...

Ôi, contador de histórias :)
Tens razão e...não tens (na minha óptica, claro).
Tens razão pq é mesmo como dizes, MAS é pelo corpo/olhar/visibilidade k primeiro chegamos ao outro - qualquer k ele seja! É através dessa visibilidade que se mantém contacto - sem o corpo/na ausência deste nunca saberás (pelo menos nesta dimensão da nossa humanidade) que o outro está ao "...NOSSO LADO"! O acariciar é importante - o bebé necesita ser tocado com ternura p/ se desenvolver equilibradamente.
Se o outro começar a ignorar-te provavelmente vais encontrar mil e uma racionalizações p/ justificar comportamentos, ausências, etc MAS qnd o corpo-teu se torna invisível p/ o outro vais acabar por ser abertamente confrontado com a verdade de k andas fugindo há tempos...
(NADA DISTO É UM ABSOLUTO, MAS CREIO PASSAR MTº POR AQUI)
beijo e ;))