12 novembro 2004

AQUELA MULHER JOVEM CAMINHA


Aquela mulher jovem, caminha.
Pesada das horas de trabalho,
dos sacos das compras, das horas
nos autocarros. Embaciados os gestos.


A luz não a ilumina, envergonhada
da vergonha que sente. Teimosa
continua em frente, qual animal
perdido, a quem a vida não consente.

(Do livro: FALAR MULHER)


Mouse On Wheel





2 comentários:

Anónimo disse...

Viva, chamo-me Manuela, gostei das coisas que li, Olha, este teu poema retrata tão bem as mulheres que se vêem nas ruas e nos transportes públicos...Até faz doer o coração.
Abr.

TMara disse...

Olá Manuela ;))
Ainda bem k assim achas. A intenção era essa. Retratar um universo de tanto trabalho, canseira e dádiva tão mal reconhecida ou, pior, ignorada.
Bj @-',--