05 junho 2005

E...a W nada de novo!

Misha20Gordin2.jpg
(foto de Misha Gordin)
{Em minha opinião retrato do cidadão português!}


E...a W nada de novo!

Não vou dizer nada de... novo.
Já leram sobre esta matérias nos meios de comunicação, mas sinto necessidade de falar sobre os assuntos.

1. A Eurostat divulgou novos dados sobre o desenvolvimento dos países:
Ficámos com a confirmação do que o cidadão comum já há muito sabia (e sentia) do poder de compra, bem como sobre a lógica empresarial da maioria dos nossos empresários... entre outras coisas.
Portugal só perdeu o último lugar de país mais pobre porque com o alargamento da União Europeia vários países da antiga união soviética entraram na corrida (lá nos falhou o podium mais uma vez!).
Ficámos em 17º lugar na classificação de riqueza por habitante/2004, ultrapassados por Chipre e pela Eslovénia.

2. Ainda assim o senhor ministro da economia, Dr. Manuel Pinho, apela às famílias para que “contenham o consumo”!

Penso que, como o burro do inglês só temos um caminho: aprender a viver sem comer.
Vejamos o que NÃO podemos dispensar: temos que no vestir e calçar senão prendem-nos; temos que usar meios de transporte para ir trabalhar; temos que ir aos médicos e comprar medicação para podermos ir trabalhar (se adoecemos lá se vão dias de férias e otras cositas mas...); temos que educar os filhos para que possam, mais tarde, ir trabalhar e fazer rico este pobre país que tanto se tem esforçado por nós e por eles!
Ah, e para que nos possam pagar as reformasitas. Já agora..!
Temos que pagar as casas, água e luz, para podermos continuar na união europeia – onde se viu um país de sem-abrigo integrar tão prestigiada e desenvolvida comunidade?


Há quem afirme não comer há décadas, alimentando-se do sol, só temos que aprender. Por acréscimo ainda poupamos nas contas do detergente e da água, da louça inclusive.

Creio que não vale a pena continuar! A amostra é elucidativa.

3. Instala-se a confusão a propósito da Constituição europeia e dos 2 “não” e do referendo, nas hostes portuguesas.

Debates? não houve! Haverá?
Associa-se o elevado custo de vida ao euro. Os políticos estão mais descrebilizados do que... (o que é que não tem crédito nenhum????)! A tendência é para dizer não ao desconhecido, para mais quando associado a dificuldades de vida cada vez maiores.

Por razões que nada têm a ver com estas, nem com o interesse dos portugueses e o exercício da sua cidadania, vemos políticos como Cavaco Silva (candidato às presidenciais), contra o referendo. Não admira! Sempre defendeu a ractificação parlamentar!

Sabem, tenho saudades da voz e das análises sensatas e humanistas de Maria de Lourdes Pintassilgo!

12 comentários:

Humbertothewizard disse...

Eu como português que sou, lamento e tímido hesito em dizer à TMara que aquilo que escreveu revela a crua verdade e a triste realidade que caiu sobre as nossas cabeças. Hesito, porque não gostaria de ver o país onde nascí na rua das amarguras, e pronto para descer aos abismos, só porque alguns politicos durante os seus diferentes mandatos, não tiveram a decência, nem a coerência e nem tão pouco a responsabilidade do sentido de dever do que era governar um país. Utilizaram o povo que os elegeu, e a quem deveriam servir e a mais ninguêm, como mero instrumento eleitoralista com a finalidade consumada de servir os seus interesses pessoais, e as conveniências de quem financiou as suas campanhas eleitorais. Eu queria acreditar que Portugal ainda vai renascer das cinzas, mas Portugal e especialmente os seus governantes, não são dignos nem honram a memória dos heróis que fizeram a nossa história. O meu sincero agradecimento à TMara por ter a coragem de denunciar a absurda e amarga verdade com a qual vivemos o dia-a-dia.

Daniel Aladiah disse...

Querida TMara
Somos pobres mas, ainda assim, um dos países mais desenvolvidos do mundo. Claro que nos comparamos sempre com quem está melhor do que nós. É bom fazê-lo desde que não entremos em depressão por isso e continuemos a lutar por melhorarmos a nossa situação. 90% dos países do mundo vivem pior que os portugueses! Na UE somos 17º porque aqui se concentram a maior parte dos países mais desenvolvidos, portanto não é para admirar, mas sim para não ficarmos de mãos caídas.
Um beijo
Daniel

JPD disse...

Olá TMara

A nossa condição «periférica» é tremenda: estamos aqui nesta ponta, pouco desenvolvidos, mal organizados, muito cosumistas e sem -- desta vez parece ser mais séria a situação -- possibilidade de emigrar para um qualquer país onde as remessas da poupança elevasse a estima: na Europa não aceitam trabalhadores; em Africa, tão desorganizado´s, é impossivel a coopoeração; no Brasil é impensável! Que fazer? Deseja-se que a terapia não dê cabo, de vez, do paciente. Teremos de aprender a consumir menos e esperar, ardentemente, que o emagreciento do Estado contribua para uma «alívio!» rápido...se for esse o real diagnóstico e a terapia adequada.
Curiosamente, a comunidade de portugueses residente no Luxemburgo poderão comprar por apenas 1/3 -- por para lá terem ido -- aquilo que apenas estará ao nosso alcance por 3/3...ou mais!
(Belo post o teu TMara)
Bjs

sylpha disse...

Um post critico, inteligente, que nos obriga a reflectir :)) Beijo grande

ferrus disse...

Acima de tudo enoja-me o facto de ninguém ser responsabilizado a não ser o cidadão que, impotente, ou mal organozado para o deixar de ser, assiste à promoção pessoal de quem contribuiu para a situação actual. Como ouvi dizer de um amigo: este é um país sem alvará e se vier uma fiscalização europeia poderá fechar as portas....Assim o espero de for esta solução!... Bjitos

André Ferreira disse...

O nosso pais está cada vez mais próximo da América Latina, não pelo melhor mas pelo pior! O fosso entre os mais ricos e os mais pobres é cada vez maior, a corrupção alastra(inclusive creio que o facto dos partidos prometerem coisas antes das eleições e fazerem o oposto em seguida é uma terrivel forma de corrupção: subvertem a democracia, pois se é verdade que o voto é livre deixa de o ser se as pessoas afinal não estão a votar no que lhes disseram que ia ser o seu voto..)
Esperemos que as amnésias a que o povo é dado passem... Mas com os meio de comunicação social tão controlados pelos poderes é complicado!

Lana disse...

a realidade dói...mm por isso..por ser real demais..bela foto e triste realidade... jinho **

Apenas, o cidadão disse...

eurostat

Portugal vai fazer um esforço para reocupar novamente o ultimo lugar. será prioridade nacional.

Consumo

nos próximos anos conseguir poupar vai ser um luxo.

Referendo


A Europa politicamente não funciona nem funcionará. os burocratas já não querem referendos pois não querem encarar a realidade. Portugal, na minha perspectiva, não tem nada a ganhar com esta constituição europeia.

Amaral disse...

É verdade, nada de novo (de bom), neste paraíso encantador, a oeste duma península que o mapa assinala, e que sabemos encontrar-se num calhau, o terceiro, a girar à volta duma luz que deita fogo, a girar por entre milhões de outras, numa galáxia algo perdida no universo imenso da nossa percepção.

Ana disse...

TMara, a minha concordância total com tudo o que disseste.
A falta que faz em poder acreditar que é apenas um pesadelo e que iremos acordar no mundo e no país que um dia sonhámos.

Micas disse...

Fico tão triste ao ler estas noticias...parece que está tudo tão negro por aí... por muito que me custe tenho que te dar toda a razão, parece que a luz não se vislumbra num futuro próximo :(
Beijinho

Sarah Smile disse...

I couldn't agree more. Or less.