23 dezembro 2004

Um conto de Natal

Há muitos anos, na véspera de Natal, o Pai Natal estava muito aflito porque ainda não tinha embrulhado as prendas todas, tinha uma rena coxa e outra constipada. Desesperado foi beber um copo. Chegou à adega e não havia nada.
Voltou à cozinha para comer alguma coisa e os ratos tinham comido tudo. Como se tudo isto não bastasse, a mulher avisou-o que a sogra ia passar o Natal lá a casa. O Pai Natal passou-se!

No meio do desespero, tocaram-lhe à porta. Com a pressa de a abrir, tropeça, bate com a cabeça numa esquina da mesa e começa a sangrar abundantemente. Já verde de raiva, abriu a porta e deu de caras com um anjinho dizendo com uma voz angelical::
* Olá Pai Natal! Boas Festas! Venho visitar-te nesta quadra tão feliz, cheia de paz e amor. Trago-te aqui esta árvore de natal.

Onde queres que a ponha?...
Foi a partir daí que todas as árvores de Natal passaram a ter um anjinho no topo ...

(Autor/a desconhecido/a)

3 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Olá quase vizinha Mara
Ainda não descobri, nem mo disseste, se já nos "conhecíamos" ou não.
De qualquer modo passamos a ser conhecidos a partir de hoje...
Não conhecia a história da árvore de natal (provavelmente haverá muitas mais...) e até tive pena do infeliz pai natal.
Beijo.

Lana disse...

oohhh k historia natalícia hehe com toda akela ilusao e sonho à mistura tipicas do natal :) mais uma vez...BOM NATALLLLLLLLLLL :D ****

TMara disse...

Lana e Nilson :) obrigada pela visita e Feliz Natal ;)).
Nilson, se nos conhecemos ou... conhecíamos? n/ sei...Passo por lá e leio. Hoje deixei algo + do k o olharleitura.
Lanita, mil coisas boas, renascimento c/ este solstício.
Bjs e ;))