28 setembro 2005

Onde andará o meu amigo só

ONDE ANDARÁ O MEU AMIGO SÓ
(Maria Alberta Meneres)


Onde andará o meu Amigo só
que pedra
em flor pisando
no caminho?
Gótica a agulha do silêncio ao alto
longe quem passa perto não a vê
eu perto a vejo de tão longe
quando

Onde andará o meu Amigo só
trepando às fontes derrubando
cantos?
Como quem tece um vento de memória
e dele se despede ou só da teia
não sobrevivo à minha vida
quando


In: Antologia organizada por Vasco Graça Moura (2003) 366 poems que falam de amor. Lisboa: Quetzal
Posted by Picasa

19 comentários:

Mendes Ferreira disse...

espero que ande por terras e montes e vales e de lá se lembre de ti....amiga. Amiga. Bjo.

gato_escaldado disse...

gostei de ler Maria Alberta Menéres no teu post. não me surpreende "encontrá-la" aqui. oportuno lembrá-la. como poeta e pedagoga. beijos

hfm disse...

Gostei muito.

Amaral disse...

É a pergunta que fazemos amiúde, vezes sem conta, a nós próprios, quando o Amigo esteve sempre à distância duma palavra, dum pensamento, dum respirar...

tania Barros disse...

Estonteante a profundidade do poema!

Blue C. disse...

Minha querida, mudanças interiores têm-me mantido longe do teu cantinho.

meialua disse...

Espero que ande bem perto de ti ;)

gostei do poema! Beijinhos*

AS disse...

A Maria Alberta Meneres é um valor seguro do panorama literário português. Gostei de a ver aqui!...

Um abraço grande

Maria do Céu Costa disse...

Foi bom aqui ler a Maria Alberta Meneres, neste poema afectuoso. Gostei. Beijinhos.

romero disse...

No sé donde está el, pero que es encantador ese poema, es mismo.:)

Besito

pipetobacco disse...

{ ...

um dia usei a tua rosa de peito
e nela me enrolei sem jeito
quente arde e ardente dor
desejo de teu e meu corpo
carente
em tua flor
de peito
amor

© o5elemento

beijos*mil

... }

Micas disse...

Espero que não longe de ti. Gostei imenso do poema. Beijinho grande

Carlos Barros disse...

só a solidão bate a porta, mas os amigos só(s) tem de ser abraçados.

jctp disse...

Olá, TMara.

Na verdade, acho que preferia não explicar o post. Hesitei em publicá-lo. Tive quase medo. Talvez isto possa ajudar a compreendê-lo. De que qualquer forma, eu acredito que tu o tenhas compreendido.

Ana disse...

Não conhecia o poema! Obrigada por o divulgares.
Um beijo.

Al disse...

onde anadará o meu amigo só?
onde andamos quando sós, se tão perto de nós não nos encontramos?

AdéliaTheresaCampos disse...

Que poema lindo! Percebi que preciso conhecer mais os poetas portugueses. Beijos, carinho.

batista filho disse...

Que lindo!
(... eque sorte: pelo poema/imagem e por conseguir navegar sem problema por cá!!! vou mais é aproveitar o vento e maré favoráveis!!!)
Um beijão, amiga!

Anónimo disse...

Best regards from NY! Eczema eyes M3 gmc 75mm Cpu to d cache bandwidth demand Rules of no limit texas holdem