16 setembro 2005

Do riso e do siso

«Freud disse que o segredo do humor estava naquele que fazia rir e não naquele que ria. Neste sentido o palhaço é o mais verdadeiro e o mais interessante dos homens.(...)

Entre os que riem e os que fazem rir a diferença é de consciência. Os que riem não sabem que também fazem rir, com a sua figura; enquanto que os que fazem rir sabem que estão eles próprios a rir nesse momento. (...)

Os que riem sabem que também fazem rir(...) No humor o homem reconcilia-se não só com os outros e com aquilo que o rodeia, mas com ele próprio porque o grande humorista não é aquele que ri do mundo mas de si mesmo.»


CÂNDIDO FRANCO, António.(1994). Vida de SEBASTIÃO, Rei de Portugal. Lisboa: Public. Europa-América(186)

9 comentários:

Charlotte disse...

Que surpresa!!!! Casa bem decorada;) Excelente Mara!
Só sei que rir é o melhor remédio e portanto aqui fica um big smile:)
Beijokas****

adesenhar disse...

" do riso do siso e umas verdades "
:))))

bom dia
bjs :)

José Gomes disse...

Ainda há gente que leva as coisas a sorrir...
Bom fim de semana.
Um abraço

Manoel Carlos disse...

A figura de um palhaço sempre me faz lembrar do poema de Fernando Pessoa sobre o fingimento do poeta; muitas vezes o palhaço chora intimamente ao fazer a platéia rir.

Jornalistas Independentes disse...

claramente um excelente blog...profundo...a reter...parábens...

Maria do Ceu disse...

Neste pais que anda tão macambúzio, este seu post vem mesmo a calhar. TMara se me permitires gostava de te sugerir um blog de Poesia é recente, dê lá também uma espreitadela e acho que vai gostar - http://w.w.w.olharemtonsdemaresia.blogspot.com/
Beijinhos

AS disse...

TMara, venho agradecer a tua gentileza e desejar-te um excelente fim de semana.

Estou a reler-te...

Um beijo

romero disse...

rier siempre :) payaso para siempre.:) guste.Besos

batista filho disse...

Amiga, como vês, demorei um pouquinho a por a leitura em dia. è que às vezes não consigo abrir a caixa de comentários. Mesmo a página, pelo menos no meu pc, que é tão obsoleto quanto eu (risos), está abrindo devagarzinho.

Achei belíssimo esse texto, "do riso e do siso". Anexarei aos meus favoritos.

Um beijo.