03 abril 2005

A um amor como Abril



A UM AMOR COMO ABRIL



Chegaste de madrugada.

Ou fui eu que parti e cheguei?
Era uma madrugada de Abril.
Na viragem. Quando a hora morna
Se torna dura e fria.

Era a hora da terra de ninguém.
Nem noite nem dia

e o mundo num sussurro
e num segundo, agonia
sem saber se vence a batalha
e vai tornar a ver o dia.

Só podia ser madrugada e ser abril.
Naquela hora em que já não durmo
Ou na hora em que a insónia
Venceu o sono, que passou e não ficou.

Hora da esperança.

Bocas rútilas procuram-se.
Túmidas como corolas.

Hora em que os sonhos são mais reais
Do que tudo o resto.

Era de madrugada e era Abril.
Tocaste na porta. Ao de leve.
Com a aresta macia
Da tua face de criança que nunca cresceu.
Mas eu ouvi-te. Esperava-te.

Sem o saber eram tuas, as minhas longas vigílias.

Entraste e a língua refrescante
Acalmou meus temores. Meus tremores.
Correu pelo meu corpo como mar
pela areia quente e distante.
E rebelde, o corpo, seiva e relva
Fez-se cama.

Teus dedos de harpa tocaram-me. Violino.
Explodimos em som.
E eram de seda do Japão
os teus dedos. Asas de borboleta.
Tu e eu, madame Butterfly.
E o som, num crescendo, acompanhou
meu corpo. Modulante nota musical.
Serpente. Ondulei. Ondulámos.
Maremoto.
E acalmámos. Acalmei.
Escrevemos sinfonias nas nuvens.
Calam. Calmamente. Trigal.

Era de madrugada e era Abril.

Esperei-te. Tu não vieste.
Hiroshima meu amor.
O silêncio teceu-se ao meu redor
Com a fome da espera.

Matéria Anti-matéria.
O querer o não ter.

Hiroshima eu amor.

Eu já não eu.
Células sem memória
Neurónios
Átomos
Limbo
Poeira cósmica
Cometa
Recomeço.

Seria aquilo a morte?

Por mais que me mate e me perca sempre
a ti regresso .



Por TMara
In: “AS TAREFAS TRANSPARENTES” (21:23)

13 comentários:

Pecola disse...

Inevitável.. É a coisa mais certa. E há quem já tenha merecido o seu descanso..

Gostei de ler a tua homenagem. :)

charlotte disse...

Que post lindo espectacular e maravilhoso; só posso dizer q adorei e q o vou reler!
Beijinhos.

Pintelho disse...

Clap clap clap!

alfinete de peito disse...

A função apaziguadora do teu Eu, bem presente nesse teu sonho real de esperança, aguarda incansável por nova manhã de Abril e insaciável desejo de despertar.
Não é morte, é mais que vida...
Repousa Hiroshima, a melodia da harpa já é perceptível ao longe.

Temos dito.

Grizo e Mercador.

jorged'alfange disse...

Abril...paixão! ;) kiss

Daniel Aladiah disse...

Querida TMara
O último verso diz tudo...
Apeteceu-me escrever algo como: por mais que viva e me encontre, sempre te espero...
Um beijo
Daniel

Lana disse...

Abril...mês de flores, passarinhos, um cadinho mais de calor..amor...diz 25 de abril...e curiosamente..mês do dia das mentiras :P

Será k tem alguma relação?? hummm :P

(eu e as minhas divagações) :|

*****

Lana disse...

Abril...mês de flores, passarinhos, um cadinho mais de calor..amor...diz 25 de abril...e curiosamente..mês do dia das mentiras :P

Será k tem alguma relação?? hummm :P

(eu e as minhas divagações) :|

*****

Fabi disse...

Fez-me relembrar meu abril passado. E como animal condicionado... a chegada desse abril me traz lembranças boas e dolorosas.
Lindo post.

Beijos.

ah! tem resposta pra ti no post do hare... acredite aquele cara existe e insiste que eu sou a alma gêmea dele, pode?
;)

eduardo disse...

Bom dia.
Gostei imenso de ler este "Abril", TMara.

Mitsou disse...

Sem palavras. Sem fôlego. Um beijo e um sorriso.

Vera Cymbron disse...

( de pé aplaudo-vos )
Lindo...apenas digo isso.
Jinhos

TMara disse...

a todos: pecola; charlotte; pintelho;alfinete de peito; jorge dalfange; daniel aladiah;lana; fabi; eduardo; mitsou; blue - pouco + poderia dizer do k obrigada, pleo k o faço colectivamente. venam e tragam amigos. Hoje, como SOL, esperando a chuva, vamos lanchar no meu pátio onde as flores têm estiolado à míngua de água, mas florirá para todos. Boa semana. Bjs e ;) para endireitar as esquinas dos dias.