16 março 2005

IN MEMORIAM


Para a Alzira

A minha amiga Alzira foi ontem a enterrar depois de violentamente assassinada a tiro.

Para além da dor, a zanga, a fúria por toda esta violência gratuíta apossou-se de mim.

Não vos sei falar dela, não de momento, e gostaria, quereria fazê-lo.

Era uma alma boa, limpída e solidária. Era uma pessoa meiga e doce, mas havia sempre nela uma sombra de tristeza. Lá, ao fundo do olhar.

Deixo este poema em sua memória:

Caminha no vento

a rapariga.

Esguia e breve

metamorfose

do ser.

Caminha no vento e ri.

Soltos os movimentos

tanto

antes contidos.

P.S - ontem não consegui postar, deixei só as flores. Deixo-as hoje para não eliminar a solidariedade lá expressa.Obrigada Eduardo, obrigada Lana. Beijos para vocês.


10 comentários:

Blue C. disse...

Muita Luz para a Alzira. E um beijo enorme para a Amiga da Alzira.

lique disse...

Que para ela se abram caminhos de paz! Um beijo grande para ti.

agua_quente disse...

Lamento muito, amiga! Há tragédias que nos calam as palavras. Um abraço.

Daniel Aladiah disse...

Querida TMara
Também lá estive no último adeus à Alzira, coincidências no infortúnio. Ela merecia melhor...
Um beijo
Daniel

Cinda disse...

Amiga, posso apenas deixar-te um abraço apertado pois nem sei que dizer...Um beijo carinhoso.

Paula disse...

A distância que me apraz sobre esta situação é a suficiente para demonstrar o quanto lamento e o quanto te admiro pelo facto de usares este cantinho de forma tão suave para o demonstrar...

é tão bom quando a dureza não sai das palavras!

http://divinadecadencia.blogspot.com/

Lana disse...

um abraço...
e n tens nada k agradecer... ****

Pecola disse...

Meu deus.. Um abraço.

Manuel disse...

Infelizmente conheço essa tua dor:(
beijinhos grandes

Louise disse...

ontem um amigo ligou-me a contar que uma amiga tinha sido assassinada...sem mais palavras