14 março 2006

No mistério do sem-fim


No mistério do Sem-Fim,
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;

no canteiro, uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o Sem-Fim,
a asa de uma borboleta.

(Poema de Cecília Meireles)

18 comentários:

Nefertiti disse...

A vida é mesmo um mistério sem fim...

Manel do Montado disse...

Gostei, simples e bonito.
Beijo

Jorge Moreira disse...

Que belo poema, que canta um planeta simples!
Beijinhos e fica bem Amiga,

AS disse...

....Porém, tudo estamos fazendo para que o planeta se desiquilibre!... e parece que não nos preocupamos com isso....


Um abraço TMara

greentea disse...

q bom se pudessemos ter todos os dias violetas e papoilas e borbiletas à nossa porta!

Desambientado disse...

Adoro Cecília Meireles. Poemas simples e divinais.

Vinha apenas retribuir a visita e fiquei mais um pouco.

Tem muita qualidade este blog.

Maria Costa disse...

Um poema a retratar um planeta como fosse um jardim.
Gostei da selecção poética.

Beijinhos.

raul disse...

Simples e bonito.
bjo.

BlueShell disse...

Grata por me recordares Cecília Meireles....

Beijitos
BShell

Carmem L Vilanova disse...

Belissimo poema... tao pequeno e tao belo...
Gostei de poder ler-te hoje... Acho que estava precisando... :o)
Muitos bjinhos!

Rubens da Cunha disse...

Cecília sempre habita em mim, quando a leio relembro o quanto ela é importante para minha alma de poeta. Obrigado por me recordar este poema.

douglas D. disse...

olá.
bela escolha. bela.

maresia_mar disse...

Olá Tmara
gosto imenso da Cecília e este poema mostra porquê! Bjhs

peciscas disse...

A vida é um permanente mistério, quantas vezes apenas presa por uma frágil asa de borboleta!

Cakau disse...

Vim deixar um beijo *

grzl disse...

coisas simples, coisas belas....
um abraço
graziela

batista filho disse...

Que bom reencontrar Cecília!
Um beijo, amiga.

lena disse...

belo poema de Cecília Meireles onde nos retrata o planeta como um canteiro, um jardim

e nada fazemos para o manter


beijinhos muitos para ti doce Tmara

lena