26 fevereiro 2006

Estilhaço memorias

16 comentários:

HumbertotheWizard disse...

Talvez a nossa memória não tenha capacidade para lá chegar e se estilhasse pelo caminho, bem no interior de cada um, onde a multiplicidade dos Eus se desenrola? Talvez porque embora tenhamos consciência de que somos aquilo que realmente somos, não tenhamos porém, a noção exacta no concreto do que somos realmente feitos? Ou provávelmente que quando mais procuramos essa multiplicidade intima, mais esse conhecer se afasta de nós, pois o mais provável são os nossos eus virem ao nosso encontro, quando menos esperamos, nas alturas em que dispendemos todo o nosso potencial humano em forma de inteligência e criatividade, conjuntamente com a nossa férrea força de vontade para dobrarmos o cabo das tormentas da vida. Os Eus não são irreais, mas eles fazem parte de uma nossa riqueza interior, que nós ainda crianças, não tivemos o ensejo nem a sabedoria para desvendar os segredos dos quatro cantos dessa recôndita sala do nosso interior, que alberga os nossos eus. Embora saibamos que ela, a sala existe cá dentro, nunca tivemos contudo, a oportunidade de lá ter estado. Muitas felicidades para a TMara e o seu sempre cativante Estranhos Dias. [Dominio dos Anjos]

Caiê disse...

Também estilhaças a memória? Que alívio... Julgava ser só eu... ;)

Rosmaninho disse...

Boa Segunda-feira "Gorda"!
Um beijo

Jorge Moreira disse...

Que profundidade!
Beijinhos e bom Carnaval.

Aziluthh disse...

Olá T.Mara. Passei por aqui com tempo para ler e deixar um beijinho.

Mendes Ferreira disse...

...........para te encontrar....mesmo que por caminhos ínvios....


beijo DOÇ.....

Betty Branco Martins disse...

Quantas vezes olhamos para dentro de nós - procurando memórias - e deparamos com alguns estilhaços de vidros - ainda em arestas vivas.

Gostei muito deste teu trabalho. Foi feito em quê?

Beijinhos

Menina_marota disse...

Eu gosto de olhar para dentro de mim, juntar os estilhaços que existem de tudo o que fui e, ainda sou, e renascer todos os dias com uma nova esperança...
Gostei deste momento, que me faz interiorizar ainda mais todos os meus eus.

Um abraço carinhoso ;)

Betty Branco Martins disse...

Tmara

Obrigada.És uma querida :)

(Parabéns à tua amiga, está um excelente trabalho)

Beijinhos carinhosos

A.J.Faria disse...

Olá, tmara!
Todos nós temos memórias.
A questão é saber que uso fazemos dela!
Há quem se sirva dela para enriquecer o seu futuro, outros...
nem por isso.
Um beijinho,

Bugs disse...

Gostei do blog, vou voltar!

Bjs

Amaral disse...

As memórias são uma parte da nossa existência. "Curvando" o tempo, ousarás porventura penetrar nalguma dimensão que o espaço esconde… Mas os teus "eus" reunir-se-ão, um dia, naquilo que "és"… E isso poderá ser um acontecimento grandioso…

Alessandro_PPG disse...

Olá! Visite o meu novo blogger: http://ilustrada-ppg.blogspot.com/ e meu site: http://www.ilustrada.ppg.br/ Me ajude a divulgar! Desde já agradeço! E gostaria de fazer novas amizades! Abraços !

GNM disse...

Memórias semelhantes a porcelanas.
As "arestas da vida"
Tantas vezes implacávelemte afiadas,
Cortantes!
Esbarrar?
Por que não?

Mendes Ferreira disse...

a d o r o - te.

lena disse...

Tmara excelente este trabalho e memórias, fazem parte de nós

beijinhos meus, muitos


lena