29 outubro 2004

O DIA AMANHECEU TURBULENTO

Inexplicavelmente o dia amanheceu-me turbulento. Nada aconteceu que o possa explicar. Dentro de mim é que há a turbulência, estendendo-se ao dia que, então, me parece invernoso, agreste, quiçá árido.
Estados de espírito que tendemos a racionalizar imputando-os a factores exteriores como por exemplo: a chuva, o dia de cinza, o vento agreste e frio....quando é de nós que essas impressões subjectivas partem e colamo-las às coisas como fatalistas etiquetas.
Assim sendo, para que o estado de espírito não se cole (mais) à escrita deixo-vos com um pequeno poema:

As palavras parecem--me
sem peso e sem sentido.

Melhor é calá-las
o sonho é já vivido.

(Do livro: AS TAREFAS TRANSPARENTES)

2 comentários:

Lexis disse...

há sempre novos sonhos para viver ou algum antigo que se pode revisitar... enquanto há vida, há anseios e desejos... Cabe-nos arranjar novos sonhos para nos mantermos activos...
beijocas

TMara disse...

Lexis - Obrigada pela tua atenção e carinho.
Basta que UMA pessoa nos leia,com olhos de ver (exteriores e interiores)para que tenha valido a pena o que se escreveu.
E os teus comentários são sempre mais do que isso.Trazem e dão um olhar atento. Sabe bem.
Beijos aos molhinhos para ires desfolhando ;-))