12 janeiro 2007

Jogo “Fotodicionário”: palavra da semana – “Física”


As primeiras imagens k associei à palavra foram da natureza, do planeta.
Das suas formações e vida.

Pensei: “física”= estudo, conhecimento do mundo e seus fenómenos.

Vieram-me à cabeça algumas leis da física estudadas no liceu.

Pensei que poderia construir rudimentares aparelhos: roldanas, alavancas - por aí - e fotografar.


Depois começaram a surgir imagens da natureza que guardei em fotografias, muitas formações rochosas onde se pode ver, nas fracturas, a sua evolução e estrutura (macro).

O pensamento de como a física e a química andavam de mãos dadas intensificou-se.

Pensei escrever numa folha de papel a fórmula de uma lei da física, ou fotografar um dos instrumentos vitais para o seu estudo: telescópio; microscópio... Ou um banal, como o telefone, a telefonia, máquina de lavar, os óculos que uso....etc

Tanta ideia a fervilhar.
Cada palavra proposta desencadeia processos mentais absolutamente inesperados.

Passei, ou melhor, voltei, para imagens da natureza: um arco-íris (tenho algumas fotos), a decomposição da luz; plantas, etc...

Em simultâneo a ideia de "representar" esta palavra/ideia/conceito com corpos humanos, em bailado, não me abandonava.

A ultrapassagem das leis, a lei da gravidade interrompida pela vontade e leveza. Dos corpos e do bailado.

Corpos, representação da natureza - árvore florida ou com frutos.
Outras – microcosmos onde as leis da física coexistem.


Hesitei, decidi, enviei.
Voltei a hesitar, reenviei e pedi anulação da anterior.

Ganhou o corpo humano – tudo nele contido: células, átomos, etc...
O microcosmos em nós.
E a vontade de ultrapassar seus limites.

E é uma dessas fotos, tirada a um bailado, que no final, em mim, ganhou a luta de ideias e pode ser vista em “PALAVRA PUXA PALAVRA”

P.S - surge como post-scriptum não porque seja menoss importante, mas porque é só um lembrete: hoje à noite, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de S. Mamede de Infesta apresentação de novo livro de poesia Maria Mamede



5 comentários:

Anónimo disse...

Um percurso lindo pelo teu pensamento e o resultado é pura dança poética, desafiando as vulgares leis da física. Entretanto vendo a sucessão de imagens da casa, tuas mensagens belíssimas, fiquei deliciada com este frémito de Felicidade. Parabéns (a todos!)
Bjinho

Manel do Montado disse...

Minha querida, Física quer dizer natureza/natural em grego clássico. Lembras-te daquela frase mal empregue dos jornalistas que apelidam o Marocas de animal político?
Pois é, o que Aristóteles quis dizer com a frase: Antrophos Phisey Politykon Zoon; mais não foi do que “O homem é por natureza um animal da Polis”, entendida a polis (cidade), querendo com isto dizer que o homem é uma animal social.
Fica em paz

Anónimo disse...

Adorei

maresia disse...

"Física" é o meu Pai que me fez num fim de dia, regressado de um dia inteirinho de experiências na JEN

PALAVRAPUXAPALAVRA disse...

Muito bem, TMara! Gostei de ler o teu percurso mental para chegares à decisão final.