16 janeiro 2007

contributo para um desafio

Foto por TMara

Fui convidada (gentileza que agradeço) a participar num
DESAFIO
que está aberto a quem quiser. Basta irem AQUI!

Este foi meu contributo.
Escrito não ao correr da pena, mas das teclas.
*

Teus gestos,

reflectidos na água

que dos olhos escorre –

feita espelho

de incontida dor –

e desliza na pele

cavando

profundos sulcos _

quase vales _

como se pedras

em desenfreada avalanche

onde o eco

das palavras persiste,

a ferir de morte.

*

A vida perdeu sentido e cor.

Triste tela

onde o negrume impera

e os sentidos, perdidos,

não encontram o norte.

*

De tua voz

as duras palavras –

eco de desamor,

corpo sem formas –

murmuradas, mansas,

como se de amor,

ao redor da chávena do matinal café

sugaram-me força e vontade.

*

O esventrado corpo meu,

retalhos

de alma esvaída, jaz

algures, em longínquos

perdidos degraus da vida.

*

Tão mansa a tua fala

ao redor da mesa

do matinal café

quando disseste: “nunca te amei!

Era só sexo, e cansei”.

*

O esventrado corpo meu,

e a retalhada alma -

cacos nos degraus –

aguardam redentora chuva

que os faça erguer e

continuar a viver

vida plena,

cheia de audácia.




4 comentários:

Toze disse...

A tua obra já está no Ar Tmara, Obrigado

Beijo

Teresa David disse...

É sem dúvida um belo poema, vou espreitar o desafio que adoro-os!
Bjs
TD

peciscas disse...

Também participei no desafio.
Há lá textos muito bons!

Paulo Sempre disse...

Interessante!!!
Paulo