01 maio 2006

25 de Abril de 74/ 1º, 1º de Maio



e na casota da Inês, minha neta, podes ver como o testemunho do sonho da liberdade e da fraternidade universal, já brilha, através das palavras da própria.

P.S - clica na imagem para ampliares.
E já passate pelo ORGIA?
Imperdível! Digo eu que sou suspeita.

12 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Para quem, como nós, viveu o 1º de Maio de 74 logo a seguir ao 25 de Abril, as duas datas são quase a mesma coisa.
Beijos querida amiga.

Teresa David disse...

Calculei que não deixasses passar este dia em branco. Para mim ele sempre foi mto importante pq ainda vivi alguns anos a trabalhar antes do 25 de Abril e metia sempre férias neste dia para festejá-lo, pois se faltasse punha em risco o meu trabalho, e não poderia viver sem ele. Mas foi a forma que arranjei de não trabalhar neste dia, e que só não me trouxe alguns amargos de boca por ser uma menina mto nova e os patrões fingirem não perceber a razão desse dia de férias. Claro que isso fez que até hoje considere um dia que deveremos sempre respeitar e perservar, embora por ser o dia dos anos da minha mãe, tenha sempre de reparti-lo tb com ela.
Um abraço
Teresa David

badger disse...

São duas datas bastante importantes...

Mas temo pelo esbatimento dos dois acontecimentos!! E somente sejam lembradas como «dois dias para descansar»!!

Beijo

maresia_mar disse...

Olá Tmara,
sem dúvida 2 datas muito importantes mas infelizmente não lembradas convenientemente... para o comum dos mortais, são apenas 2 óptimos dias de descanso... Bjhs

jorgesteves disse...

Agarro as duas datas e amarro-lhes um laço de memória!
jorgesteves

Amaral disse...

Deixa-me ver o que tens escrito na imagem… Cumprir Abril, viver sem mordaças, e ainda estamos a tempo… Olha, eu vivi o primeiro 1º.de Maio, aos saltos na rua, a caminho dum campo de jogos, em Alvalade… Nunca tinha visto tanta gente junta, a gritar e a exprimir-se como nunca o fizera na vida!... A liberdade foi uma benção adquirida, com muita luta no meio. Quando olho para trás, essa mordaça parece rota e velha, como se não tivesse, alguma vez, feito alguma maldade... Os jovens de hoje só conhecem a mordaça "virtual", pelo que ouvem e lêem do que se passa nalguns paises, mas isso nem lhes toca sequer na imaginação do que foi, um dia, uma realidade por aqui...

Manoel Carlos disse...

Eu vi as fotos da netinha, feliz e enrolada com a cabeça do tio guilhotinado :).

lique disse...

Será que ainda estamos a tempo de emendar a mão? Não sei, amiga, não sei.
Mas quem viveu estas datas, nunca esquecerá. Beijinhos

Paola disse...

tENHA UMA ÓTIMA SEMANA

BJSSSSSSSSSSSSS

pAOLA

Lumife disse...

Claro que estamos sempre a tempo de emendar a mão.
Até já há quem queira deixar de festejar o 25...
Deram-lhes o pão e agora mordem na mão.

Bjs.

Carmem L Vilanova disse...

Querida amiga,
Hoje, ao fim, retorno. Estive de mudança de casa, milhoes de coisas para arrumar, e para completar, mais de um mês sem internet e depois, uns quantos dias com a conexao sem funcionar bem... mas felizmente cá estou outra vez, para ler-te, saber de ti, e dar notícias de mim também.
Beijos, flores e muitos sorrisos para ti!

Vanda Baltazar disse...

Bom dia Tmara! Obrigada por me teres "sentido" e assim me teres dado a oportunidade, de te sentir a ti...! No dia em que formos arvore plena e frondosa, teremos calado as pedras...as que temos no sapato...e que nos lembram que os passos ainda doem ;)

Não sei se sera tempo de emendarmos a mão...os sinais que o tempo me dá, dizem que ainda é cedo...dizem-me que os homens andam cegos...(talvez não seja por acaso, que ha poucas semanas li numa revista que o stress dá a sensação de sucesso)...andam cegos de sucesso, andam cegos de consumismo, andam cegos de futilidade...ainda é cedo para emendar a mão e a cegueira...talvez quando tropecarem no vazio, lhes volte a luz...

um beijo

Van