19 dezembro 2008

Talvez um poema de Natal e desafio a todas/os


talvez um poema de Natal



dizem:
- tens um ar cansado!

sim, tenho!
tenho um ar cansado.

cansados alma e ser.

a matéria que o corpo
constitui,
a imponderável invisível
e etérea substância –
pó das estrelas –
que a alma, espírito,
o SER, constitui.

a unidade que sou,
cansada.

cansada de des-amores
em todo o
tipo de relações entre os seres.

cansada a alma
exausto o corpo
frustrados tantos sonhos
logo repostos por sonhos outros
que a vida é movimento -
acção e reacção –
fé em si e nos outros…

em jeito de balanço,
bem ao alto, ergo
o cálice da água que nos
constitui e digo:


_ varram-se, para longe,
ilusórias, unilaterais
amizades.
cesse o pranto da alma
em que o corpo soçobra.
altivos e belos
se ergam os lírios do campo
e a majestosa
os céus corra,
simultâneos os seus quatro
ciclos.

quedem-se as vozes
no silêncio
e nele se reconstrua
um mundo sem logros
bem-vinda toda a diferença seja –
riqueza maior
da humana espécie -
e que
a intemporal mensagem
ao longo dos séculos
por tantos dita,
nos corações faça eco
e ninho. casa e CAMINHO.

“ama o “OUTRO” como a ti mesmo.”

sempre esquecemos:



- o “outro” somos nós!

_________________________

Aqui deixo um desafio a quem quiser entrar: fazer um acróstico com a palavra NATAL
Enviem para Tostimara@mail.com que o colocarei aqui.
Não esqueçam o nome e o link do vosso blog para o referir.
o meu contributo com 2 acrósticos:
I

..Nascimento da
..Àgua da vida
.Tu”…eu, unidade em
..Amor e
..Liberdade.

II

Nada morre. nunca tal
Acontece. quando
Tu, que desconheço, morres a
Alma, nossa e única, se
Liberta e voa e um grito de dor
............................ [sempre ecoa]
TMara
______________________________
III

.Neste dia do ano
. Antes do nascer do sol
. Talvez as aves
. Amanheçam
. Livres em mim.’
_________________________
IV
Numa longa espera
Agora e sempre
Trago tua magia
Assente e certa
Leve suave brisa.
_______________________________
V
Nome infinito
Apenas lido agora
Tu e eu veementes
Após o Inverno gelado
Lamento da neve...
_______________________________
VI
Neve cai. suave e
Alva sobre o mundo. em
Tudo reflecte a luz da
Alma. viajante
Luar no céu de nosso olhar.
_________________________________
VII
Nada no mundo existe a não ser
Alma, espírito solto em ondulações
Tu , Eu, em pura energia de
Amor para além do vácuo do espaço,
Liberto para o início de toda a criação
_____________________________
VIII
Nada se move tudo se aquieta na
Alvorada dourada e mansa
Todo o mundo se ilumina
Ao nascer o astro-rei
Luzeiro nos caminhos da vida.
__________________________________
Nada sei de assuntos de
Alma pois perdida em mim anda
Tal etérea presença a ponto tal que
Assim me perco com a esperança
Lume leve que me consome.
___________________________________
Nada é impossivel.
Amor é sustento intemporal.
Tudo resulta dum simples gesto.
Abre os braços à vida, e sê
Livre vontade em compaixão!
__________________________________
Nuvens, neblina, névoa
Ando sempre à deriva….eu sei…
Tropeço, mas não caio…
Abro a boca para falar….
Lentas, as palavras desistem de mim
___________________________________
Não existe só este dia
Amar é ser-se nobre e constante
Tem a máxima diária!
Amizade e todo o amor é o
Lema da vida e nos faz sorrir!
__________________________________
Nesta noite os
Amantes reencontram-se
Trazendo memórias de
Amor e
Luz
__________________________________
Nada tenho a dizer…
Apaixono-me….
Tenho momentos e poemas….
Andam sorrisos perdidos….
Laços, luzes, brilhantes.
__________________________________
Nutre a terra com teus
Abraços e forma uma palavra de
Trigo: todo o cante e toda a
Aurora é a voz do menino que se
Levanta.
__________________________________
Nem sempre o caminho se abre
Ao sonho bonito de um Pai Natal
Todo enfarruscado a descer da chaminé;
A mais das vezes é um homem de verdade
Ladrão de sonhos, de risos, de meninos sem fé!
__________________________________
Numa noite igual a tantas outras
Alguém especial nasceu!
Trouxe a bondade e esperança,
Alegria para todos os povos,
Luz para os homens de boa vontade
_________________________________
Não sermos tudo ou nada
Apenas existir.
Todos sem memórias nem antecipações,
Apenas ao presente sermos fiéis
Limitando-nos a ser Luz, Espírito
__________________________________
Nnoite escura em claro
Amor, que na vida
Tem herança
Alegria em muita dor
Longo choro de criança!...
_________________________________
outros natais
Nada soava naquele cenário de guerra
até mesmo o forte vento se calara
tudo em volta era razia e a terra
ao sentir-se por fim livre da metralha
latejava como se doce acordara
.
Num recanto mal coberto da poalha
a que o alvor da manhã já nos furtara
tiritando uma criança em alva palha
a sua mãe que entre o medo já sorri
lhe oferta o seio que a fome ansiara
.
No mais fundo do casebre descobri
as mãos presas 'inda à arma que matara
tão ferido no olhar jazente ali
a cobrir com seu corpo o filho e a mãe
lado a lado o pai que por eles lutara...
________________________________
Namoro com a vida
Amo o ar que respiro
Tudo ganhou sentido
Alimentei-me de sofrer
Lá, onde tudo é descabido

17 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Paula Raposo disse...

O meu 1º acróstico já seguiu via email. Já te envio outro.
Beijinhos.

Paula Raposo disse...

Fica bonito. Tiveste uma excelente ideia. Beijos.

Paula Raposo disse...

Bonito, Claras Manhãs!! Beijos.

Anónimo disse...

Obrigado pelo convite. Foi uma oportunidade para fazer algo que nunca tentara. Agora há que insistir.
Tiveste uma boa ideia e gostei muito do teu poema de abertura.
Beijo
Dark

ZezinhoMota disse...

Explêndida ideia e enviei por e-mail a minha participação...

BOAS FESTAS
E FELIZ ANO 2009

Com a família e amigos.

Bjnhs

ZezinhoMota

Marta disse...

Obrigada pelo convite...
Vou enviar por mail os 2 mini poemas com a palavra "Natal" que escrevi.
Espero que gostes....Foi uma boa ideia...
Beijos e abraços
Marta

VFS disse...

Parabéns a todos pelas excelentes participações.

TMara,

Obrigado pela Luz!

claras manhãs disse...

A ideia foi excelente, Natalícia!

E alegre, já viste?
Uma alegria juntarmo-nos, à volta de uma palavra NATAL.
Lindo!

beijinho

eduardo disse...

Como se deve calcular, esta altura para mim torna-se ingrata por motivos óbvios.

De qualquer maneira, tenho recebido as tuas palavras de incentivo que animam um pouco mais o meu reflexo. Grato por isso.

Aproveito para te desejar um bom Natal e um 2009 cheio de sucesso.

Tudo de bom.

Desambientado disse...

Não estou a participar, mas só a desejar Boas Festas. A ideia porposta é gira.

Por obséquio,
Faça um presépio,
Tenha um Natal,
De amor fraternal.
Mantenha os petizes,
Cobertos de amor,
Protegidos, felizes,
Sem eleição de cor.

Nesse seu presépio,
Deite o seu menino
No aurículo ou ventrículo
Do seu coração.
Um Natal a sério,
Também é um hino,
Ou um bom estímulo,
À fraternal comunhão.

Votos de que neste Natal o egocentrismo entre em crise e que haja uma pandemia de saúde.

Paula Raposo disse...

Estão todos lindos!! Beijinhos.

bettips disse...

Que a Energia te acompanhe o coração. Festas Felizes!

Mel de Carvalho disse...

TMara,

passo para lhe deixar um fraterníssimo abraço de Natal, com os votos de que 2009 nos volte a juntar em torno das palavras.

Desejo-lhe e a tds os que ama, um excelente Natal e, claro, um Ano Novo envolto nos bens mais preciosos: PAZ, HARMONIA, AMOR.

Beijo da Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt ou o link abaixo.

O Micróbio II disse...

Um Santo Natal

Raquel V. disse...

Neste presente que só existe em nós...
A mesa enfeitada, decorada...
Tanto de passado a desejar ser futuro.
A árvore e as suas luzes intermitentes...
Lês-me um conto, fazes-me sonhar...

Beijinhooooooooooo

Teresa David disse...

Apeteceu-me escrever algo a partir do desafio. Sei que acordei tarde mas mais vale tarde do que nunca!

Namoro com a vida
Amo o ar que respiro
Tudo ganhou sentido
Alimentei-me de sofrer
Lá, onde tudo é descabido

Bjs e bom Ano
TD