25 agosto 2007

In memoriam E.P.C





Eduardo Prado Coelho, homem de cultura, escritor, ensaísta, cronista e professor universitário faleceu.

Muitas vezes polémico, muitas vezes com inflexões no(s) percuros políticos nem sempre compreensíveis, deixa uma lacuna no nosso espaço cultural e da
expressão da portugalidade no mundo.

Para quem quiser saber mais deixo dois links:
  • 1 - Wikipédia
  • 2 - Semanário EXPRESSO
  • ONDE SE PODERÃO DOCUMENTAR VASTAMENTE, sobre este homem inegávelmente culto, mas não menos contraditório (nas opções políticas) - em minha opinião.

8 comentários:

LEÃO DA ESTRELA disse...

Quando se diz que o Sporting é um clube das elites, isso também tem muito a ver com o facto de ter adeptos e simpatizantes intelectuais como EPC, sem pejo de assumir que gostam de futebol e que têm um clube. EPC, que cultivava uma atitude aristocrática, não tinha preconceitos pseudo-intelectuais. Era capaz de escrever sobre o “nosso” Sporting e, mesmo assim, ser lido por quem detesta futebol. Porque quando escrevia sobre futebol abordava o fenómeno como uma pessoa normal. Com coração, cabeça e estômago. Também por isso, sendo um homem assumidamente de esquerda, chegando, às vezes, a escrever como se de um “spin doctor” do PS se tratasse, era lido e respeitado em todos os quadrantes políticos. Porque era livre nas suas escolhas, nos seus elogios e nas suas críticas. Desde a fundação do jornal “Público”, em 1990, EPC escrevia diariamente sobre as grandezas e as misérias da cultura, da política e da sociedade portuguesas, a partir dos episódios do quotidiano. Tinha amigos de estimação. E inimigos também. Como qualquer ser humano marcante e perene.

somentebia disse...

Esses homens de personalidade marcante que fixam o nome no cenário político/cultural, deixam realmente uma lacuna quando partem. Muitas vezes não conseguem agradar a todos, e não é raro deixarem alguns desafetos pelo caminho, mas sua posição de homem de personalidade fica ali, marcando sua presença na história do país.

Deixo-te pétalas de mimosas flores, um beijo no coração, e o desejo de que dias lindos, alegres e festivos, te cheguem no correr das horas de tua semana.

A.S. disse...

Depois de ter chegado de férias, não podia deixar de vir aqui dar-te um abraço.

Permite que me associe a esta singela mas significativa homenagem que prestas a um vulto da cultura portuguesa que eu muito admirava...

Aprendiz de Viajante disse...

Obrigada pelas palavras deixadas no meu blog.

Gostei de passar aqui...

Eremit@ disse...

fez bem em dedicar um post a E. P. Coelho.
É uma figura marcante dos dois úlktimos séculos, apesar de neste pouco tempo ter estado.
Fraterno abraço

Sophiamar disse...

Eduardo Prado Coelho foi um ser humano de rara grandeza.Um excelente professor, um comunicador incomparável,um ensaísta sublime, um amigo sempre presente, agora uma saudade eterna.
Beijinhos, minha amiga

Menina_marota disse...

E ficam as suas palavras. Vouter saudade de ler as suas crónicas...

Um abraço e grata pela partilha.

(Aproveito para te agradecer as tuas palavras pelo meu aniversário. Já fazem honras no meu blogue.)

Daniel Aladiah disse...

Fiquei chocado... foi minha "companhia" tantos anos, mesmo quando não concordava com ele.
Um beijo
Daniel