08 agosto 2007

com o olhar teces o caminho


com o olhar teces
o caminho
elaboras o caminhar.

pés descalços sentem
as agressões.

pedras, espinhos,
terra seca queimada
que queima a pele…
obstáculos todos eles
que desincentivam.

com o olhar, expressão

do ser, mudas
o mundo, o caminho e
o caminhar.

recrias a estrada.
azul, luminosa
infinita.


ao fundo, o mar.
ventre materno onde
podes repousar

e o caminho
sempre retomar.

5 comentários:

Teresa David disse...

Um poema bem ao teu jeito cheio de daquele misticismo, não religioso, que te envolve, onde todos os elementos panteístas estão sempre bem presentes.
Bjs
TD

Rubens da Cunha disse...

Belo a não mais poder.
beijos
rubens

maresia_mar disse...

OLá Tmara,
um belissimo poema acompanhado de uma fantástica imagem!

Iupi, finalmente o meu dia está quase a chegar, este fds férias me aguardam.. volto em setembro, até lá não te esqueças de ser feliz! Bjhs

Bia disse...

Com o olhar teces tua doce poesia que nos chega ao coração como um farfalhar das asas de mimosos anjos.

Daniel Aladiah disse...

Lindo e luminoso, como sempre, Tmara
Um beijo
Daniel