13 junho 2007

A corte


Pintei este quadro em 1978, como poderão ver no detalhe ampliado da assinatura na imagem abaixo.
Quando o pintei pensei em todo o envolvimento, movimentos e deslocaçóes no ar, que uma corte assim, provocaria.
Curiosamente um amigo meu, de cada vez que o via, dava uma forte e sonora gargalhada de gaúdio, pois via nele uma representação dos nossos pólíticos a quererem... debicar-se uns aos outros.

E tu, caminhante que por aqui passas, que dizes?

O que vês?

8 comentários:

Amaral disse...

Eu vejo um envolvimento especial em tudo o que é vida.
As cores parecem mover-se, as pontas das asas e dos ramos parecem sair do Todo e procurar, cada uma, um caminho que se encontrará algures a reunir...
O vermelho e o branco são símbolos duma continuidade que se vai transformando, sem nunca se perder...

viajante disse...

Em Outra(s)Janela(s) há uma surpresa. Vai espreitar?
(http://outrajanela.blogspot.com)

Daniel Aladiah disse...

Querida Tmara
Belíssimo quadro! Senti a luta entre o bem e o mal, mas isso deve-se a mim, que por estar nessa luta, influencia toda a forma que tenho de ver...
Um beijo
Daniel

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Vejo o movimento da natureza...
beijinhos

Moura ao Luar disse...

Eu como sou um zero à esquerda nessas artes fico espantada com tal talento :-)

agua_quente disse...

Vejo um quadro belíssimo em que o movimento e a cor se completam. Bravo, artista!
Beijos

carmen disse...

Vejo de certa forma uma liberdade .
Para mim sua tela representa isso.
Liberdade!Fascinante pintura ao meu ver.Parabéns !

cm disse...

nos ramos da vida paira a força e a pureza e apesar de tudo algumas flores hao-de brotar...

um abraço amigo