09 fevereiro 2009

a manhã

No passado sábado, pelas 21H30, com presença marcada no 1º f.s. de cada mês, decorreu,em Vermoim, no edifico da antiga da Junta de Freguesia de Vermoim, um encontro de poetas. Podem ver a reportagem do Zé Gomes aqui.
Infelizmente por várias razões, sendo a mais pertinente a ausência de transporte, não sou assídua. Foi a 2ª vez que pude comparecer. Mas fi-lo com gosto e grato prazer. O mote era: "manhã" e este um dos poemas que escrevi para a ocasião.

a manhã


a manhã sempre representa
um grito de vida e esperança.

grito
contido iniciado
entre o tudo e o nada
entre o alfa e o ómega
a escuridão e a luz

ao nascer a manhã
céu, mar e terra fundidos
dialogam murmurado diálogo
desde o início dos tempos
renovado

os elementos de Gaia
despertos
avaliam o humano
desempenho e…empenho
decidem a continuidade
do mundo
tal como o conhecemos
ou a total renovação
e necessária depuração

mas na manhã a compaixão
de Gaia por seus filhos
prevalece

sempre nos dá…mais um dia
mais uma esperança
mais um momento
uma respiração
um voto de confiança
um alerta expresso
no separar das águas
no respirar do ar
no incendiar do Sol
no lavado perfume
que da terra se evola
nos alimentos que
de seu maternal seio
brotam e nos oferta.

e assim a cada manhã
voto de confiança e esperança
em si contidos terra mar e céu
se separam e renovam
para que a vida aconteça
flua e nós…Acordemos.

3 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Tmara
E fez-se manhã...
Um beijo
Daniel

O Profeta disse...

Construí um abrigo no deserto da emoção
Os vales são as ruas de um Deus
Fecha-se a alegria da terra
Um último olhar de amor, solto dos olhos teus

Na noite tudo se perde
Mora a sombra o desvario
A indomável vontade do amor
Tem a força de um Rio

Boa semana


Mágico beijo

Manoel Carlos disse...

Sempre bons estes encontros, no caso até inspirador.
Manoel Carlos