16 janeiro 2008

continuação do post "oferta e desafio"


Continuação do excerto do 1º texto da 2ª parte do livro Salvador o Homem e Textos Inconsequentes à venda através da edium editores quem não leu ou quiser reler, p.f. clique aqui e vai lá ter.


«(...) E ela a mulher, a falar e eu sem a ouvir. A julgar que sim.

Ouvi o motor do carro e avistei-o lá longe na estrada velha. Uma longa cauda de pó esbranquiçada brilhando pelos reflexos e refracções da intensa luz tal a cauda do vestido de casamento da mulher quando a esperei no altar.
Ela a chegar ao altar e a cauda branca a brilhar miríades de estrelas tapando a passadeira carmim arrastando-se em sussurros de vozes que já não sei, mas sussurrando, e ela, a mulher, já quase no altar a pouco mais de um metro de mim que a esperava mas fitava a longa cauda qual via láctea estrelando ainda a porta da catedral. Assim a cauda de pó levantada pelo carro.

A noite caiu e nada e ainda assim eu a julgar que sim.
Passou a hora de jantar de cear e eu a julgar que sim esperava a mulher. (…)»

5 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Tmara
Com muito pouco tempo, mas não esquecendo os amigos.
Um beijo
Daniel

Cymbron disse...

Quem é vivo sempre aparece...
Gostei do excerto, parece-me de facto uma excelente leitura.

Jinho

♥≈Nღdir≈♥ disse...

O tempo tomou conta da minha vontade… corre veloz ao sabor do vento…
Contudo… mesmo num desejo rápido, estou aqui… nem que seja apenas para desejar um bom fim de semana.
E parto… de novo sem promessas, porque não sei quando me será permitido voltar, fica então a vontade de regressar, um dia destes quando o tempo permitir…
Que fique o meu beijo e que dure pelo momento de ausência no espaço de um até breve.
Nadir

Bichodeconta disse...

É sempre com emoção que te leio.. voltarei aqui, sempre..um abraço..

maresia_mar disse...

Querida Tmara,
gostei imenso do teu post, é de facto óptima leitura.
resto de boa semana. Bjhs