30 setembro 2007

poema escrito por minha filha Alexandra há 20 anos atrás

Era uma menina quando escreveu este poema e muitos outros tão belos quanto este
Teve azar com as professoras.
Na sala diziam, hoje os meninos vão escrever um poema sobre: "...?" e lá diziam o tema.

A Alexandra escrevia.
Liam e zangavam-se: "não foi a menina que esctreveu ISTO!
Trouxe de casa!!"
Tantas e tão poucas vezes tais disparates foram ditos pelos seus e suas pedagógicas-educadoras-professoras que minha filha deixou de escrever.

Tenho esperança que um destes dias ela retome em força e dê largas ao seu dom.

Hoje posto este poema porque sim e porque tenho saudades dela.

12 comentários:

lena disse...

tocou-me o poema, sensível e tão belo

chocou-me a maneira como se "cortam as pernas" a quem começa a dar asas à sua imaginação tão bela e tão doce


espero que a tua filha volte a escrever, que retome esse dom que nasceu com ela e que transmite tanta sensibilidade

um beijo especial para ela

a ti Tmara um abraço

mesmo em silêncio passo por aqui e hoje não consegui passar sem deixar uma palavra pela beleza que nos deste a conhecer

um beijo meu

lena

Lumife disse...

Temos aí poeta. Ela que recomece.

Nós apoiamos.

Tudo de bom para todos.

Beijos

Sei que existes disse...

Sem dúvida que é um belo poema que denota uma excelente poeta!
Espero que ele deixe de ouvir quem nada percebe e volte em força à escrita!
Beijocas grades

Anónimo disse...

GOSTEI DO POEMA . MUITO, MUITO BELO TENDO EM CONTA A IDADE DA AUTORA.

QUANTO ÀS PROFESSORA SÓ TYENHO UM COMENTÁRIO ELAS É QUE DEVIAM IR PARA A ESCOLA.

ANTÓNIO

Anónimo disse...

GOSTEI DO POEMA . MUITO, MUITO BELO TENDO EM CONTA A IDADE DA AUTORA.

QUANTO ÀS PROFESSORA SÓ TYENHO UM COMENTÁRIO ELAS É QUE DEVIAM IR PARA A ESCOLA.

ANTÓNIO

Anónimo disse...

BELO, MUITO BELO O POEMA TENDO EM CONTA A IDADE DA AUTORA.

QUANTO ÀS PROFESSORAS, SÓ TENHO UM COMENTÁRIO:

ELAS É QUE DEVIAM IR PARA A ESCOLA.

ANTÓNIO

Parvinha da Silva disse...

E voltará a escrever.
Porque sim!

Ela merece, Tu mereces.

Amaral disse...

Vinte anos é muito tempo. A palermice de educadores incompetentes faz com que muitas vezes as crianças reprimam os dons que as acompanham...
As crianças indigo, para se manifestarem nesta existência, necessitam do entendimento duma sociedade que não está ainda preparada para os acolher.
A Alexandra devia soltar imediatamente aquilo que tem no seu interior...

margusta disse...

Tão Lindo Tmara...assim sentia a tua filha Alexandra...e talvez um poema seja isso mesmo...

Um beijo meu!

bettips disse...

Porque sim, por ser poema belo rejeitado criança-mulher. E a poesia, nos sítios comuns, metia medo aos que se julgavam iluminados pelo "saber". Contigo e a tua luz, que A. encontre de novo o caminho dessa estrela! Bjinhos

Pri Lopes disse...

Entendo a situação de sua filha - que já naquela idade, pelo visto, escrevia muito bem. Passei por isso com poesia também, desde os 12 anos. Certa vez, na 8a série, a professora de redação pediu que eu escrevesse naquela aula uma poesia (até a hora de bater o sinal) provando que as anteriores eram mesmo minhas. Recebemos pouco incentivo na escola. E esse "mínimo" parece querer colocar os alunos em uma forma (métrica), na qual saem sonetos (desajustados, claro, nem todo mundo leva jeito) e poesias românticas (refiro-me à época mesmo) melosas e rimadinhas - sem talento. Lastimável.

amar para ser feliz!!! disse...

EU COMO EDUCADORA FIQUEI PERPLEXA PELA FALTA DE SENSIBILIDADE DOS MEUS COLEGAS EDUCADORES.POIS CADA FRASE QUE É ESCRITA POR UM ALUNO DEVE-SE VALORIZAR POIS SÓ ASSIM FAZEMOS UM UNIVERSO DE POETAS E APAIXONADAS PELA LEITURA E ESCRITA,QUE É O MAIOR PROBLEMA DO NOSSO PAÍS.APENAS POUCAS PALAVRAS E QUE FALAM TUDO!!!PARABÉNS ALEXANDRA!!!