20 março 2007

ODE À PRIMAVERA

(Primavera - Botticelli)

A vida anda possessa de Poesia!
Anda prenha de mosto!
Ou é da luz do dia,
Ou é da cor do rosto,
Ou então quer abrir-se, neste gosto
De pão com todo o sal que lhe cabia!

Tem narcisos de amor no coração,
Folhas de acanto nos sentidos!
E carícias na mão
A espreitar dos tendões adormecidos!

Toca-se numa pedra, e ela treme!
Murmura-se uma prece, e a boca grita!
A rabiça do arado é como um leme
Sobre a terra que ondula e ressuscita!
Quem avoluma a sombra, ou quem a teme?
Cada presença é um hino que palpita!
E se na estrada alguém discorda e geme,
Ninguém que vai no sonho o acredita!

Serás tu, Primavera?
Tu, com frutos na rama do futuro,
Com sementes nos pés
E flores inúteis sobre cada muro,
Contentes só da graça que tu és!



Miguel Torga

7 comentários:

peciscas disse...

Quem de nós, como o Torga, soube cantar a força, o sabor, o cheiro da Natureza?
Ao ler este poema, sentimos mesmo o cheiro da Primavera ( quando ela tinha cheiro a Primavera,... velhos tempos...)

O Micróbio II disse...

4 anitos... lá pelo Micróbio! :-)

foreveryoung disse...

Bem vinda Primavera!
Belo poema!
Bjs

Teresa David disse...

É com mto prazer que aqui encontro um poema do Torga, quando ainda há pouco tempo noutro blog encontrei tb outro do mesmo autor, pois grosso modo as pessoas lembram-se dele na vertente da prosa, quando, na minha opinião ele foi um grande poeta, eu, pelo menos gosto bastante da sua poesia.
E que viva a Primavera, malgrado seja uma inimiga feroz para mim quando me florescem as alergias!
Bjs
TD

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

deixo um beijo e o desejo de um bom fim de semana

o alquimista disse...

No sublime te li....Doce beijo

agua_quente disse...

As belíssimas palavras de Miguel Torga. Que a Primavera esteja sempre dentro de ti.
Beijos