27 outubro 2006

ás vezes

porque parar de escrever é ir ao encontro da morte.
Sei-a anunciada.
Creio que a não temo - mas só na hora exacta o saberei - mas pode ficar quieta no seu canto porque tenho muita coisa para fazer e muita gente para conhecer e amar.
Para já, a todas e todos que, indiferentes à minha ausência me continuam brindando com atenção e carinho, deixo um beijo e votos de óptimo f.s.

7 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Tmara
Espero que esteja tudo bem...
O livro seguiu.
Um beijo
Daniel

Anónimo disse...

O tempo passa, a vida esmorece, mas…

No compasso lento das horas
Numa corrida contra o tempo
Marco presença mesmo
Que seja só para desejar
BOM FIM DE SEMANA!!!

Beijos
Nadir

contadordehistorias disse...

beijos


:)

Anónimo disse...

Beijos com beijos se pagam... sempre!

Amaral disse...

Parares não vai acontecer, certamente.
Ainda que pesada, enfrenta essa "morte" que, por já não ser temida, é aceite naturalmente como parte da vida...

Francisco Sobreira disse...

Querida Amiga de além mar: No meu caso, se parar de escrever, estarei à beira da morte, mas acho muito difícil, quase impossível, tomar essa decisão. Já tive algumas vezes vontada de deixar de escrever, mas sinto uma necessidade interior muito forte que me estimula a continuar. Sobretudo quando tenho respostas positivas de pessoas sinceras e talentosas, como você. Um beijo afetuoso e também um excelente fim de semana.

Teresa David disse...

Ainda estás aí para lavar e durar, logo tb para escrever, amar, e sobretudo viver a vida como mais te der prazer.
Bjs
TD